Brazilcore a tendência fashion do momento

Quem tem rede social com toda a certeza já deve ter visto essa tendência ou ouvido falar a respeito do termo “Brazilcore.”

Mas o que exatamente ele significa?? Vou te contar! 

Estamos vivenciando uma forte tendência fashion baseada nas cores da nossa bandeira e na estética da periferia brasileira, graças aos influenciadores internacionais do tik tok que começaram a usar nossas cores em suas produções. 

Em outras palavras, é o jeitinho brasileiro em roupas e acessórios trabalhados, sobretudo, no azul, verde e amarelo!

Apesar de ser muito divertida e incentivar a paixão dos brasileiros daqui e de fora do país, essa tendência vem carregada de polêmicas políticas e marginalizações, trazendo consigo a essência, o “core” da retomada ao centro, do resgate às cores da nossa nação e faz despertar o desejo pela construção de looks criativos e patriotas para torcer, curtir e fotografar muito nessa copa.

Afinal, não tem como falar de Copa do Mundo sem falar no Brasil do futebol!

Características do Brazilcore

Ok, entendido até aí, certo?! Agora vou te contar um pouco mais sobre as características dessa trend!!

De maneira bem sucinta, a gente combina as cores da bandeira nos looks sem medo de ser feliz. Quanto mais vivo o look mais Brazilcore! 

E, simm, desde aquela calça alfaiataria até o queridinho chinelo Havaiana cabem muito bem nessas produções.

Agora que você já sabe um pouco da história dessa tendência, que tal montar o seu look Brazilcore e se divertir torcendo para o nosso país?

Faça uma visita nas lojinhas da Trend2Box!

Bolsa Baguete

Ainda posso investir nela?

Lembra desse modelo de bolsa? Quanto sucesso!!

Mas se você pensa que esse sucesso ficou no passado, está muito enganada!

A bolsa baguete voltou à moda, ou melhor, acho que nunca saiu dela rsrs, repaginada e com o mesmo aspecto retrô ela continua fazendo a nossa cabeça e compondo looks incríveis e muito descolados.

Acessório que nasceu nos anos 90, criado pela Fendi e popularizado por meio da série Sex And The City, virou febre total e depois disso nunca mais parou de virar tendência.

A inspiração para o seu nome e modelo veio justamente da forma com que os franceses carregavam os pães: embaixo do braço rsrs 

Por ser pequena, ela é muito versátil, pois se adapta a diversas ocasiões e possui o tamanho perfeito para você carregar as coisas do dia a dia, como o celular, batom e uma carteira pequena.

Desde 2019, o estilo vintage invadiu o closet da mulherada e, se quer mesmo saber se ainda pode investir em uma baguete estilosa, dá só uma olhadinha nessas inspirações que separamos para você usá-la com muita elegância.

Aqui na Trend2Box você encontra opções lindas desse modelo para harmonizar ainda mais os seus looks.

Bolsa Coach Hand Preta
Bolsa Louis Vuitton Looping Monogram Marrom
Bolsa Tod’s Retangular Rosa 

Como o brechó pode colaborar com a sustentabilidade?

Afinal ser sustentável nunca vai sair de moda!

Bem pelo contrário, essa é a moda que mais tem feito adeptos fiéis por aí. Quanta felicidade!!

Você sabia que o brechó pode ser o seu primeiro passo para uma vida mais sustentável?

Imagina você que apenas 20% do lixo de roupas é coletado para reuso e reciclagem, enquanto o restante vai parar em aterros sanitários ou é incinerado. 

Porém, antes disso é preciso falar que por trás de cada uma dessas peças, ao serem produzidas, existe um desgastante processo de produção que consome inúmeros recursos naturais e gera uma imensidão de resíduos poluentes despejados no nosso querido meio ambiente.

Sendo assim, quando compramos uma peça de roupa, existe uma série de ações sustentáveis por trás, olha só:

  • resgatamos uma peça antes de ela virar lixo e poluição;
  • evitamos material de difícil decomposição no meio ambiente;
  • menos roupas serão produzidas nas fábricas têxteis e
  • menos substâncias tóxicas serão despejadas na natureza.

A moda sustentável, por meio dos brechós e da oferta de peças de boa qualidade e uso prolongado, enxerga cada vez mais a necessidade de engajar os consumidores cujas atitudes estejam ligadas ao consumo consciente.

E lembra sempre: o mercado se baseia na demanda, portanto, se ela diminuir, menos peças serão fabricadas.

All Jeans

Um look fácil e muito chic. Tendência que de passageira não tem nada!

A peça mais democrática que, com certeza, ocupa um lugarzinho querido no guarda-roupa de todo mundo também merece ser combinada com ela mesma, você concorda?

Calça e camisa, macacão, vestido, seja qual for a combinação, esse visual fica muito estiloso e não é de hoje que a tendência bomba pelo mundo afora.

Vou te contar porque all jeans é um look tão fácil. 

Sabe aqueles dias que você está sem ideia ou inspiração do que vestir? Pois então, essa é a oportunidade de você montar uma produção poderosa e sem pensar muito em combinações e texturas, somente jogar suas peças de jeans e sair arrasando por aí.

Vai por mim, esse tipo de look é muito prático e versátil!

Vamos dar uma espiada em 3 propostas que estão bombando nessa temporada?

Calça wide leg ou pantalona combinada com jaqueta jeans cropped formam um look super descolado.

Macacão jeans que você pode usar com tênis fazendo uma combinação confortável e despojada.

Ah os vestidos!! Aquela peça feminina que, quando em jeans, acrescenta um ar descontraído e informal e você ainda pode usar e abusar da segunda peça e dos seus acessórios preferidos.

Aqui na Trend2Box  você encontra diversas opções de peças jeans para montar seu all jeans arrasador!

DIA MUNDIAL DO SECOND HAND

A sustentabilidade além de ser moda, é uma forte tendência.

Não é de hoje que a sustentabilidade deixou a categoria de simples palavra da vez para se tornar uma das maiores tendências de consumo consciente.

E, já que estamos falando nisso, você já ouviu o termo SECOND HAND?

Criada nos Estados Unidos, essa expressão significa SEGUNDA MÃO e é utilizada para explicar que produtos que um dia foram seus podem continuar fazendo história nas mãos de outras pessoas.

Aqui, no nosso país, o second hand é posto em prática tanto em lojas de brechós quanto dentro de marcas onde além das peças novas os clientes também têm a oportunidade de adquirir peças semi-novas e usadas. 

É a evolução consciente em busca de um planeta mais feliz!

De um tempo para cá, ser sustentável virou uma filosofia de vida, pois tudo o que você veste causa muito impacto, afinal uma simples peça de algodão pode levar de 10 a 20 anos para se decompor, e um tecido sintético demora de 100 a 300 anos para completar sua decomposição.

Comprar produtos de segunda mão, além de incentivar o consumo consciente, é a forma mais simples de fazer a moda circular, contribuir para a preservação do meio ambiente e, ainda assim, garantir produtos de extrema qualidade. 

E te conto mais: hoje em dia, ao receberem as peças, os brechós fazem uma curadoria para avaliar se elas estão em condições de habitar o seu guarda-roupa. Isso se chama seleção de qualidade!

O mundo e a natureza imploram por uma mudança de comportamento e, neste Dia Mundial do Second Hand, é importante lembrar que ressignificar as peças usadas é um ato de revolução e reflexão.

Vamos fazer a moda do futuro acontecer?

O QUE É MODA CIRCULAR?

Tendência apontada e sugerida para a sobrevivência da indústria da moda em um futuro próximo.

Quando pensamos em sustentabilidade, nada mais justo aderir a este pensamento: “bora fazer a moda circular?”

Aquilo que eu usei e cuidei tanto durante um tempo, agora não faz mais sentido para mim, porém, pode muito bem fazer um mega sentido para você, concorda?

Mas não é só isso! Fazer a moda circular vai além do que vender ou trocar peças usadas, ela precisa, antes de tudo, conscientizar desde a raiz.

A sustentabilidade na moda traz muitas reflexões a respeito do que vai acontecer com o futuro dessa indústria e tende a acelerar movimentos e conduzir cada vez mais adeptos engajados nessa causa. Oba!!
Rever a produção de forma que a sazonalidade seja cada vez menor e que de fato os produtos tenham durabilidade e longevidade através da seleção das matérias-primas e da promessa de cada um para que o consumidor consiga usar mais vezes a mesma peça e não descartá-la por falta de qualidade.

Por conta disso, podemos dizer que “moda circular” é o ciclo de vida de um produto.

Nesse sentido, é importante lembrar que as possibilidades de consumo inteligente também começam a surgir com os brechós online onde a tendência é a reeducação, o desprendimento, o desapego e a redução.

História do movimento Fashion Revolution

História do movimento Fashion Revolution

Se está barato demais, será que não existe alguém pagando caro por trás?

Você que acompanha, que contribui ou que quer começar a se inteirar mais a respeito do mundo da sustentabilidade já deve ter ouvido falar no “Movimento Fashion Revolution” e, se ainda não ouviu, hoje vamos te contar essa história que nos faz refletir e questionar.

Em Bangladesh, há mais ou menos 9 anos, o edifício Rana Plaza desmoronou vitimando mais de 1.100 pessoas e ferindo cerca de 2.500. A maior parte das vítimas eram mulheres jovens que trabalhavam costurando roupas para grandes marcas de moda do mundo.

Esse desabamento deixou claro que a ganância, a produtividade em larga escala e os ganhos financeiros estão acima da segurança e das condições apropriadas de trabalho de milhares de pessoas.

Por esta razão, surgiu o Movimento Fashion Revolution, que traz consigo a luta e a memória de cada vida perdida a fim de ressignificar e fazer um apelo para que a moda tenha respeito por quem hoje trabalha e tira o sustento dela.

Apesar do acontecido, mesmo após tantos anos, os direitos humanos e as condições dignas daqueles que fabricam a roupa que vestimos ainda são muito precários e incertos.

A lembrança desse dia, assim como a conscientização e as mobilizações precisam continuar latentes para que a saúde, a segurança e o tratamento justo e livre de qualquer violência sejam garantidos a estes profissionais.  

“Quem tem apenas ambições individuais, jamais entenderá a luta coletiva!”

Uma montanha de roupa abandonada

campanha de Stella McCartney.

No deserto do Atacama, milhares de peças de roupa e calçados são descartados diariamente formando uma imensa montanha de lixo advindo dos Estados Unidos, Europa e Ásia. Perto de 40 mil toneladas, importadas e não vendidas, acabam desprezadas no porto de Iquique, a 1800 km de Santiago.

Conforme a Organização das Nações Unidas (ONU), a indústria da moda é responsável por 8% dos gases do efeito estufa e por 20% do desperdício de água no mundo. A maior parte da roupa produzida é feita de poliéster, um tipo de resina plástica derivada do petróleo, que demora cerca de 200 anos para se desintegrar.

Com o passar do tempo estas peças se desgastam e liberam microplásticos que acabam na atmosfera, sem contar o grande número de incêndios clandestinos tidos como “solução” produzindo uma preocupante poluição do ar.

Comerciantes e donos de empresas selecionam entre roupas premium, de primeira e segunda categorias e lixos. Muitas delas são reutilizadas no comércio da moda, outras são aproveitadas como matéria-prima para a fabricação de painéis de isolamento térmico e certa quantidade vai para uma fábrica de fios onde são produzidas fibras 100% recicladas.

Acreditamos estar próximos do momento em que haja uma mudança de mentalidade nas pessoas em relação às suas decisões de consumo. Queremos um mundo melhor, e quando se fala em compras, a forma mais consciente e sustentável é adquirir produtos second hand.

Precisamos fazer com que a roupa circule, para assim durar mais tempo sendo usada e automaticamente evitar que ela seja jogada no lixo poluindo o meio ambiente.

4 Marcas criadas por mulheres negras para conhecer (e se apaixonar!)

Por: Barbara C. Brugnolli

Segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2018, realizada pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) em parceria com o SEBRAE; De todos os empreendedores brasileiros, 40% são pretos ou pardos, enquanto 35% são brancos, e apenas o restante inclui amarelos e indígenas. No entanto, deste número, 45,5% dos negros abrem o próprio negócio por necessidade, enquanto, em relação aos brancos, esse recorte é de 28,5%.

Adriana Barbosa, CEO da PretaHub e presidente do Feira Preta, contou em entrevista à revista Capricho da Editora Abril, no ano passado qual é o maior desafio dos empreendedores negros:

 “O Brasil negro é empreendedor em sua essência, esse é o maior legado dos povos africanos para o país. O grande desafio é transcendermos da necessidade para oportunidade. Somos a maioria como micro empreendedores e precisamos ser maioria como empresários em médias e grandes empresas. O teto de vidro do micro precisa quebrar. Está na hora de essa gente preta mostrar o seu valor.”

Quando falamos em sustentabilidade, não devemos limitar nosso pensamento somente na preservação do socioambiental, mas também na preservação de culturas e a igualdade social. Ao promover mais diversidade na indústria da moda, trilhamos um caminho para a sustentabilidade.

Além das marcas incluírem modelos negras em suas campanhas, a indústria da moda precisa fazer muito mais. E nós como consumidores também devemos desempenhar nosso papel para contribuir nessa trajetória. Como? Ao promover e consumir de negócios criados por empreendedores negros, por exemplo tomamos um dos passos a fim de colaborar também com a luta antirracista.

Pensando nisso, separamos 4 marcas brasileiras (e incríveis) criadas por mulheres negras para você conhecer e apoiar:

Imagens: Munira Via Instagram

Acompanhe a marca nas redes sociais:

Imagens: Afro Beach Brasil Via Instagram

Acompanhe a marca nas redes sociais:

Imagens: Azulerde Via Instagram

Acompanhe a marca nas redes sociais:

Imagens: A-Aurora Via Instagram

Acompanhe a marca nas redes sociais:

A moda sustentável é uma pauta de interesse crescente e cada vez mais mulheres negras de toda parte do Brasil ganham voz e força no setor. Aproveita e conte aqui pra nós quais marcas lideradas por empreendedoras negras você conhece 🙂

3 Ebooks (gratuitos) sobre Moda Sustentável para ler agora!

Por: Barbara C. Brugnolli

Você já conhece a Afeto Escola? É uma plataforma online cuja missão é democratizar o ensino de moda sustentável no Brasil. Legal né? Mas e como isso é aplicado na prática?

A partir de seus canais digitais de comunicação como o Instagram, a Afeto Escola traz conteúdos riquíssimos e importantes para o público que deseja aprimorar seus conhecimentos e entender mais sobre Moda Sustentável e também realiza cursos onlines e mentorias com profissionais da área.  

Alguns especialistas que atuam na plataforma da Escola são:  

Marina de Luca, fundadora do site Moda Limpa, integrante do núcleo Fashion Revolution Brasil e consultora de marcas e pessoas com foco na moda de impacto positivo. 

André Carvalhal, professor das instituições ESPM, FGV e IED, além de autor dos livros bestsellers “A moda imita a vida – como construir uma marca de moda” e “Moda com propósito – manifesto pela grande virada” e ainda é Diretor co.criativo da AHLMA, marca de moda sustentável, do Grupo Reserva. 

No site da Escola, você pode conferir o calendário de cursos e seminários e ainda realizar o download de e-books gratuitos, escritos por especialistas no assunto.

Nós da Trend2Box buscamos promover uma prática mais sustentável através da moda e não poderíamos deixar de compartilhar com vocês alguns dos e-books que foram nossos preferidos:

Fonte: https://www.afetoescola.com.br/

Deixe aqui nos comentários qual desses e-books mais despertou seu interesse ou se você já leu algum e confira todos os materiais gratuitos oferecidos pela Afeto Escola clicando no botão abaixo: